Ações Positivas

Turismo sustentável por um planeta vivo – Parte 02

Passaporte Verde – Turismo sustentável por um planeta vivo 

Quando estiver fazendo as malas, pense cuidadosamente no que realmente precisa levar

A quantidade de itens na sua bagagem aumenta o impacto da sua viagem, pelas emissões de gás carbônico e pelo lixo que você gera.

  • Tente não levar de casa nada que possa encontrar lá. Comprar produtos de higiene ou alimentos no mercadinho local, objetos de artesanato e produtos regionais, contribui com a geração de empregos, aumenta a renda dos moradores e valoriza os talentos locais!
  • Cuidado com pilhas, baterias e lâmpadas. Esses pequenos objetos contêm materiais tóxicos que contaminam a água e o solo quando descartados de forma inadequada. Jamais os jogue no lixo comum, deposite esses itens em coletores específicos. Se não encontrar lugar adequado para depositá-los, traga-os de volta.
  • Embalagens são um problema para o meio ambiente. Retire-as das mercadorias antes de viajar. Além de produzir menos lixo, você vai deixar sua bagagem mais leve, evitar emissões durante o transporte e poupar fôlego durante caminhadas com mochila. Se levar uma embalagem cheia, traga-a vazia na volta.
  • Xampus e sabonetes líquidos ecologicamente corretos (biodegradáveis) já estão disponíveis. Utilize-os nas viagens e use a menor quantidade possível. Isso mantém as fontes de água potável, rios e mares livres de poluição.
  • Dê uma finalidade cultural às revistas e aos livros que você terminou de ler. Eles podem ser deixados na própria comunidade ou na escola local.


Boa viagem

Quer aproveitar seu tempo visitando o maior número possível de lugares? Ou prefere percorrer um roteiro menor, para realmente tentar conhecer a região, apreciando em detalhes a paisagem? Vai viajar sozinho ou em grupo?

Sabemos que essas preferências têm diferentes graus de impacto. Assim, quando escolhemos os meios de transporte, os destinos para onde vamos e os lugares para nos hospedar e alimentar, estamos decidindo quais serão as consequências da nossa viagem. Afinal, voltamos para casa, mas como ficarão os lugares depois da nossa passagem?

  • Se você quer viajar de modo sustentável, deve fazer algumas escolhas que orientem seu planejamento. Decida sempre por causar o mínimo impacto.
  • Escolha os meios de transporte menos poluentes, lugares com menos concentração de turistas, hospedagens mais ecológicas e alimentação saudável.
  • Ao viajar, consumimos produtos e serviços que refletem nossos valores. Questione cada vez mais padrões de produção e consumo responsáveis pela degradação ambiental.

Transportes

Você sempre pode fazer escolhas mais responsáveis e adequadas em relação aos meios de transporte que vai utilizar.

Carro: veículos motorizados são sempre poluentes, mas é possível minimizar isso dividindo o carro com mais pessoas, mantendo o veículo em boas condições de funcionamento e viajando a uma velocidade que consuma menos combustível. Se precisar alugar um carro, prefira veículos híbridos ou flex.

Avião: o transporte aéreo causa grande impacto ambiental, emitindo quantidades grandes de gás carbônico na atmosfera, o que agrava o efeito estufa. Mas há alguns meios para você reduzir a emissão de CO2. Evite percursos que exijam escalas, pois as maiores emissões ocorrem durante a decolagem e aterrissagem. Evite exagerar na bagagem, quilos a mais na sua mala de viagem podem significar mais emissões de carbono na atmosfera. E procure opções para compensar as emissões das suas horas de voo.

Ônibus: os transportes coletivos reduzem a poluição e a quantidade de veículos nas vias. Há linhas de ônibus para atravessar todo o país. Sempre ajuda pesquisar na Internet os meios de chegar na cidade para onde você vai.

Embarcação: em um país como o nosso, com rios navegáveis em todo o território, é possível viajar de barco por muitos lugares. Mas, entre as pequenas, médias e grandes embarcações, há uma grande diferença. É preciso escolher aquelas que causam menor impacto, principalmente pela
quantidade e tipo de combustível utilizado.

Bicicleta: o veículo mais saudável para você e para a natureza, é uma boa alternativa para distâncias menores. Pedalar é um prazer, e o objetivo do
turismo com esse tipo de atividade é curtir o percurso. Você pode andar pelas ruas da cidade, estradas e seguir trilhas. E, claro, fazer um ótimo exercício físico. Mas leve em conta o clima, as rotas, os equipamentos e a sua bicicleta.

A pé: aventure-se em caminhadas conforme sua preferência, experiência e disposição. As trilhas são a melhor forma de vivenciar e desfrutar belezas naturais, dando acesso a áreas selvagens, cachoeiras ou praias. Mas mantenha-se nas trilhas pré-determinadas, evitando atalhos que causam destruição da vegetação e erosão. E pense em deixar o local como se ninguém houvesse passado por ali. Não faça fogueiras e não leve flores, plantas nem alimente animais selvagens.

Trem: apesar do transporte ferroviário não cobrir boa parte das localidades brasileiras, este é um meio bastante sustentável pois consome menos energia que carro ou avião, transporta mais pessoas e polui menos o ar. Viajar de trem aumenta o prazer de descobrir a paisagem. Pesquise na Internet a região para onde você vai e a existência de linhas ferroviárias ali.

 
Tanto para um fim de semana como para uma viagem mais longa, escolha a acomodação que segue as mesmas práticas verdes que você deveria ter na sua casa. Esses cuidados vão desde o tipo de construção até o modo como o empreendimento se relaciona com seus colaboradores e com a comunidade.

No Brasil, além da rede hoteleira e das pousadas, temos a opção de nos hospedar nas casas dos moradores locais em algumas regiões. Prefira instalações que se preocupem com a sustentabilidade nos seus serviços.

Alguns exemplos de práticas verdes por parte de quem nos hospeda são:

  • Incorporar os princípios socioambientais à administração e ao treinamento das pessoas, que devem ser capacitadas para exercerem suas atividades de modo responsável;
  • Reduzir o consumo indireto de energia, aquele embutido na fabricação dos itens de consumo, buscando oferecer produtos naturais, especialmente vegetais, feitos na região;
  • Reduzir o impacto ambiental de novos projetos e construções, visando a preservação do cenário natural, sua fauna e flora, e levando em consideração a cultura local na arquitetura. Materiais naturais, técnicas construtivas de baixo impacto e baixo consumo energético merecem sua atenção;
  • Controlar e diminuir o uso de produtos agressivos ao ambiente, como amianto, CFCs, pesticidas e materiais tóxicos, corrosivos ou inflamáveis;
  • Utilizar energias alternativas, como a solar e eólica, sempre que possível no planejamento das novas construções e instalações;
  • Consumir água com racionalidade e eficiência, por exemplo, coletar e utilizar a água da chuva quando possível;
  • Quando utilizar detergentes, optar pelos de menor impacto ambiental;
  • Utilizar desinfetantes e outros agentes químicos quando extremamente necessário;
  • Não permitir que haja qualquer vazamento de esgoto ou dejetos poluidores;
  • Tomar as iniciativas necessárias para acabar com a poluição sonora e visual e;
  • Adotar a prática dos “5 Rs” da conduta ambiental: repensar hábitos e atitudes, recusar produtos que agridam a saúde e o meio ambiente, reduzir a geração e o descarte, reutilizar para aumentar a vida útil dos produtos, reciclar e transformá-los num novo produto.

Agora as atitudes que você, turista, deve ter

  • Evite o uso desnecessário de água e de produtos químicos, utilizando por mais de um dia suas toalhas de banho e rosto.
  • Ligue o ar condicionado, sempre com portas e janelas fechadas, e ventiladores apenas quando necessário.
  • Recolha todo o lixo que você produzir e separe materiais recicláveis de restos orgânicos.
  • Utilize sacolas reutilizáveis de pano ou papel ao invés dos saquinhos plásticos nas compras.
  • Na praia, utilize protetor solar resistente à água para não poluir o mar e prejudicar a fauna marinha.
  • Apague as luzes e desligue os equipamentos do ambiente ao sair.
  • Feche a torneira enquanto escova os dentes. Você pode gastar apenas dois litros de água ao invés de 60 com essa prática.
  • Não retire plantas, nem leve “lembranças” do ambiente natural para casa. Deixe pedras, flores, frutos, sementes e conchas onde você encontrou para que outros também possam apreciá-los.
  • Não compre animais silvestres, prefira admirá-los no seu habitat natural.
  • Ajude na educação de outros visitantes, transmitindo os princípios de mínimo impacto sempre que houver oportunidade de disseminar essa atitude responsável.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *