Dicas & Destinos

9 Lugares para visitar antes que sua diversidade acabe

Segundo relatório realizado pelo site Skyscanner alguns lugares estão em risco total da extinção de sua fauna e flora. Confira abaixo alguns destinos que  abrigam animais e plantas ameaçados de extinção e, por isso, farão parte da lista de desejos dos viajantes, que querem ter a chance de ver pela última vez um gorila-das-montanhas ou uma baleia-franca-austral. E, ao contrário do que pode parecer, o turismo nessas localidades pode ajudar na preservação destas espécies, já que muitos destinos usam o dinheiro arrecado em safáris e excursões, por exemplo, para investir em projetos de preservação.

Madagascar

  1. Madagascar

A maior ilha do continente africano abriga a maior diversidade de fauna e flora do planeta. São milhares de pássaros, anfíbios, répteis e tipos de planta que vivem ali e que hoje correm o risco de desaparecer. É o caso do lêmure, que não é encontrado em nenhum outro lugar do mundo. O desmatamento e a agricultura não planejada são as principais ameaças para as espécies que têm a ilha como habitat natural.

Galápagos

  1. Galápagos

Na ilha onde Darwin criou a Teoria da Evolução, 5 mil espécies de animais estão em risco, devido ao crescimento descontrolado da população. A diversidade lá é formada por animais como a Tartaruga Gigante, lobo marinho e diferentes tipos de iguana, além de outras espécies que chamam a atenção por sua beleza e raridade.

NApa VAlley

  1. Napa Valley

A vinícola mais visitada dos Estados Unidos está sendo ameaçada pelas mudanças climáticas. Com o aumento constante da temperatura, o clima perfeito para a produção de vinhos deixa de existir e, com ele, os vinhedos que fazem desta região uma das mais visitadas no país.

Parque Naukluft

  1. Parque Naukluft

Com o objetivo de proteger o deserto da Namibia, o Parque Nacional Naukluft foi criado. É ali que ficam as maiores dunas migratórias do mundo, com paredões que chegam a ter 300 metros de altura. As alterações climáticas, porém, aumentam as correntes de ar vindas do mar, o que pode acelerar o deslocamento das dunas, ameaçando a flora e a fauna da região.

Parque Nacional Virunga

  1. Parque Nacional Virunga

O parque criado para proteger a floresta do Congo abrica cerca de 200 gorilas-das-montanhas, espécie em risco de extinção. O local virou esconderijo dos refugiados da Guerra de Ruanda, em 1994, e desde então, problemas como desmatamento e caça ilegal colocam em risc0 não apenas a vida destes animais, como a existência da flora local.

Big Sur

  1. Big Sur

A região é cortada por uma das estradas mais bonitas do mundo. A costa da Califórnia, que fica entre San Francisco e Los Angeles, é lar para cenários fascinantes, onde vivem animais e plantas de diferentes espécies. No entanto, a região tem sido alvo de fortes ondas de calor e de seca, que fazem aumentar o número de queimadas, destruindo o ecossistema local. Alguns pontos do parque estão fechados para visitações, com o intuito de manter preservada a sua riqueza natural.

Floresta Amazônica

  1. Floresta Amazônica

A extração de madeira é principal inimigo da maior floresta tropical do mundo. Em menos de 30 anos, cerca de milhares de quilômetros quadrados da área verde desapareceram. Com a mata, várias espécies de animais também entraram em extinção, e algumas outras sobrevivem, com um número bem limitado de exemplares.

Tanzânia

  1. Tanzânia

O desmatamento também é um dos principais responsáveis pela perda da biodiversidade na Tanzânia. Nos últimos 11 anos, o país perdeu 8,06 milhões de hectares de área verde, onde deveriam viver tranquilamente diversos animais selvagens e que hoje podem entrar em extinção.

Península Valdez

  1. Península Valdez

Na Patagônia Argentina, a Península Valdez recebe as baleias-franca-austrais que se refugiam em suas águas quentes, durante o verão. Acontece que o krill, principal alimento delas, está desaparecendo devido ao aumento da temperatura do mar. Com isso, já foi constatada por especialistas uma queda no nascimento dessa espécie de baleia.

Para ver estes e outros animais de perto, antes que eles entrem em extinção, é melhor correr para os destinos onde vivem. Além disso, vale a pena adotar medidas sustentáveis durante a viagem, como não alimentá-los, recolher o próprio lixo e assim por diante, para minimizar os impactos que visitações turísticas podem causar ao ambiente. Fazer visitas conscientes é o primeiro passo para ajudar na preservação da fauna e flora deste e outros locais.

Fonte: Skyscanner

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *