Gastronomia etc.

Eu Como Cultura – Gastronomia brasileira na Lei Rouanet?

Um dos principais chefs do mundo e grande defensor da culinária regional, Alex Atala, tomou a linha de frente do projeto “Eu Como Cultura”. Junto ao Instituto Atá, ele quer reunir um milhão de assinaturas. O movimento é para apoiar a aprovação do Projeto de Lei 6.562, que reconhece a gastronomia como forma de consumo de cultura.

Para conseguir apoio e tentar pressionar o Congresso, Atala está usando as redes sociais, como a principal ferramenta de divulgação. Uma divulgação bem simples: as pessoas devem tirar foto de um prato com sua comida brasileira predileta e desafiar três amigos a fazer o mesmo, usando as hashtags #eucomocultura e #gastronomiaehcultura.

Alex Atala

Em menos de uma semana, milhares de pessoas já aderiram à campanha. Por mais que conte com plataforma para assinatura online, o projeto busca recolher assinaturas impressas, que, segundo Atala, tem maior poder de atuação. No site do “Eu Como Cultura” é possível fazer o download de uma página, que após impressão e assinatura, deverá ser enviada ao Instituto Atá pelo correio.

O Projeto de Lei permite que pesquisas e publicações relacionadas à cultura gastronômica obtenham incentivos fiscais via Lei Rouanet. Atualmente, algumas atividades culinárias brasileiras já são protegidas como patrimônio imaterial, porém, o projeto afirma que é preciso ampliar este alcance.

Vários chefs já postaram suas fotos usando a hashtag. Na foto estão: Du Mello, Henrique Fogaça, Carlos Bertolazzi e Roberta Sudbrack

Vários chefs já postaram suas fotos usando a hashtag. Na foto estão: Du Mello, Henrique Fogaça, Carlos Bertolazzi e Roberta Sudbrack

O Projeto de Lei 6562/13, em análise na Câmara dos Deputados, inclui a gastronomia nacional como segmento que poderá ser beneficiado pela política de incentivos fiscais da Lei Rouanet (8.313/91).

Se o projeto for aprovado, ele permitirá que pessoas e empresas patrocinem ou doem recursos para eventos, pesquisas, publicações de livros, criação e manutenção de acervos relativos à culinária brasileira.

Para o autor da proposta, Deputado Federal Gabriel Guimarães, “a gastronomia é parte integrante da história e da cultura de um povo. Assim, o nosso modo de comer e de preparar o alimento é característica essencial que nos distingue e nos define como brasileiros”. O parlamentar ainda defende: “Trata-se de um dos alicerces da identidade nacional, devendo, portanto, ser apoiada, estudada, preservada e difundida como qualquer outra manifestação da nossa cultura”.

Incluir explicitamente a gastronomia no texto da Lei Rouanet, como beneficiária do mecanismo de incentivo, contribuirá e muito para estimular a captação de recursos para o setor. Além disso, a medida tem o valor simbólico de constituir o reconhecimento oficial dessa manifestação como parte integrante da cultura nacional, merecedora de fomento e de apoio do poder público.

A gastronomia é uma das formas mais expressivas da cultura de um povo, e tradições como as baianas do acarajé, as delícias do vatapá, a moqueca Capixaba, o arroz de pequi, a origem do famoso bolo de rolo pernambucano e toda riqueza da gastronomia brasileira poderão ser preservadas com a aprovação desse Projeto.

A proposta ainda precisa ser avaliada por algumas Comissões para uma decisão ser tomada, o que deve acontecer ainda no primeiro semestre de 2015.

RESOLVA TUDO PARA A SUA VIAGEM AQUI


Publicidade Ⓘ

Seguro viagem com até 15% de desconto!!! Se está planejando uma viagem não esqueça de contratar um seguro!? Clique neste link para encontrar os melhores preços.  ✔ Use o cupom EMBARQUEVIAGEM10 e ganhe 10% de desconto, e para chegar a 15%, faça o pagamento por BOLETO e garanta mais 5%.

 

2 Comentários

  1. 10 de setembro de 2015 ás 15:14 Responder
    Dila Maria Pimenta

    Apoiadíssimo!!!

  2. 31 de janeiro de 2015 ás 14:02 Responder

    De : Pasquale Cosenza e André di Napoli
    Para: Todos os brasileiros
    A lei Rouanet realmente não precisa financiar a gastronomia porque precisa financiar algo muito mais importante e profundo:
    ‘’O CARDÁPIO FAMILIAR’’.
    O que é cardápio familiar?
    É um projeto de vida que visa ensinar o povo brasileiro a alimentar-se corretamente, para que possa ser um ser humano inteligente, competitivo e ousado, ou seja, que cumpra seus deveres e tenha coragem de exigir seus direitos.
    Nada, nada, a nada serve construir escolas, faculdades se não alimentarmos corretamente nossas crianças; Aqui está o verdadeiro segredo e solução de todos os males do povo brasileiro.
    As crianças precisam ser bem alimentadas antes de nascer, ou seja, durante a gestação a mãe deve se alimentar corretamente para que o bebê receba todos os nutrientes necessários para que possa nascer são e preparado, e continuar bem alimentado através de um projeto como este, apoiado pelo governo, pela lei Rouanet ou outros projetos de lei.
    Pela primeira vez nasce no Brasil o mais importante de todos os projetos culturais, sociais e gastronômico chamado:
    ‘’CARDAPIO FAMILIAR, UM PROJETO DE VIDA PARA O POVO BRASILEIRO’’
    A cultura encontra-se no seio da família, no bojo do povo!!
    Através do nosso conhecimento e da nossa dedicação estamos aptos e prontos para dar nossa contribuição como cidadãos, e profundos conhecedores da gastronomia italo-brasileira: GRATUITAMENTE.
    Esperamos que outros profundos conhecedores façam a mesma coisa, junte-se a nós; porque juntos resolveremos um dos mais graves problemas do Brasil:
    ‘’A ALIMENTAÇÃO’’
    Com estima
    Pasquale Cosenza e André Di Napoli
    (011) 3079 3800

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *