Variedades & Tecnologia

Por que o dólar para turismo é mais caro do que o dólar comercial?

Existe uma grande dúvida sobre a diferença entre o dólar comercial e o dólar turismo. Qualquer pessoa que já comprou dólares sabe que o segundo é sempre mais caro do que o primeiro, mas poucos sabem o porquê dessa diferença de valores. Para fazê-lo entender, a BeeCâmbio, primeira correspondente cambial brasileira que funciona totalmente online e está presente em 40 cidades, preparou uma explicação com os principais conceitos por trás do mercado de câmbio.

Primeiro, é importante entender que um país pode adotar dois regimes diferentes de câmbio: o câmbio flutuante e o câmbio fixo. No primeiro, o mercado é quem define, livremente, o valor da moeda local em relação às moedas, ou seja, a cotação varia de acordo com a oferta e a demanda. No segundo, quem é o responsável pelo valor fixo da taxa de câmbio de sua moeda em relação a uma outra moeda – quase sempre, o dólar – é o próprio país. Ou seja, para manter a taxa de câmbio local dentro do valor desejado, o Banco Central do país vende e compra moeda no mercado internacional (sempre em relação à moeda no qual a taxa está fixada).

A partir desse conceito e sabendo que ambas têm relação direta com a cotação do câmbio em um país, é possível explicar a diferença entre câmbio comercial e câmbio turismo. Veja abaixo:

  • O câmbio comercial é o valor base da moeda no mercado. Essa taxa é utilizada no pagamento ou recebimento de recursos provenientes de exportações e importações de bens e serviços do Brasil, no caso do nosso país, com o mundo. Em outras palavras, o câmbio comercial é utilizado as transações não exigem a troca de dinheiro físico (papel-moeda). É o que acontece também para transferências internacionais, que agrega ao câmbio comercial uma porcentagem variante fixada pela instituição responsável pela transação.
  • Já o câmbio turismo pode ser calculado com base no dólar comercial ou na cotação comercial de cada moeda versus o real, no caso do Brasil. Ela é mais cara em relação a cotação do câmbio comercial, pois além do valor base, incorpora todos os custos envolvidos, desde a importação do papel-moeda do país de origem até a colocação nas casas de câmbio. Por conta disso, o custo de ter uma moeda física é proveniente do valor do câmbio turismo, já que contempla os gastos de todo o processo.
    Também é importante saber que, no câmbio turismo, as moedas mais “exóticas” têm um valor ainda mais alto em relação ao câmbio comercial. Isso acontece porque o risco de manter em estoque essas moedas menos negociadas no mercado é alto, o que faz com que sejam compradas em menores quantidades, elevando o preço.

Com essa explicação, o comprador de câmbio não precisa mais se sentir injustiçado ao comprar dólar, euro, libra ou qualquer outra moeda por um valor relativamente maior do que a cotação comercial dela.

PLANEJE A SUA VIAGEM COMPLETA AQUI


♦ HOSPEDAGEM: Booking | Hoteis.com | Trivago | Hostelsclub

Airbnb - Ganhe R$100 de desconto


♦ SEGUROS DE VIAGEMSeguros Promo  | Sulamérica Seguros


♦ CASAS DE CÂMBIO: Melhor Câmbio ♦ CARTÃO DE CRÉDITO INTERNACIONAL: ZenCard (pré-pago)


♦ INGRESSOS INTERNACIONAIS PARA ESPORTES E SHOWSSports Events 365


♦ PASSAGEM AÉREA: ConectaVoos | Tam | Avianca | Azul | Gol | Decolar | Voopter | Maxmilhas


  ♦ TICKETS DE TREM: Rail Europe ♦ PASSAGEM DE ÔNIBUS: ClickBus ♦ ALUGUEL DE CARRO: Rentcars


♦ PACOTES DE VIAGEM: Hotel Urbano | CVCTOURS, PASSEIOS E EXCURSÕES: Viator | Ticketbar

3 Comentários

  1. 22 de dezembro de 2016 ás 10:25 Responder
    Hailton

    Sim, vc não precisa se sentir injustiçado. Pode começar a se sentir um trouxa. Desde quando o cartão de crédito que cobra “dólar turismo” paga mais caro pelo dólar para repassar o valor para o exterior? Experimente fazer uma troca de moeda física na Europa para ver se a diferença de preço será tão grande como aqui. Só em aeroportos essa esperteza acontece de forma generalizada. Aqui na terrina em todos os lugares.

  2. 22 de dezembro de 2016 ás 10:28 Responder
    Carlos

    De todo modo, as margens que as empresas de câmbio trabalham no Brasil são altíssimas em comparação com outros países! Fiz mochilão por mais de 30 países e exceto casos extremos como Venezuela, Argentina, Zimbabue… no Brasil é onde se paga muito mais! Na Bolívia, Hungria, Rep. Tcheca,etc… a diferença entre a cotação comercial e a do turismo é baixíssima, e neste países também existem os mesmos custos que vcs colocaramm aqui como motivadores para cobrar mais. Creio eu que não apenas o custo Brasil, mas também as margens que as casas de câmbio trabalham ajudam para essa diferença ser tão alta aqui. Se vocês não se inovarem, serão engolidos pela Transferwise e outras similares… ;) Obrigado

  3. 26 de dezembro de 2016 ás 10:09 Responder
    Jaque Amaral

    Tem q ver também se nesses países onde há pouca diferença o câmbio é livre que nem no Brasil. Eu sempre acho a cotação no https://www.melhorcambio.com/dolar-hoje pq lá diz a diferença entre o comercial e turismo já de cara.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *