Mundo Acessível & Sustentável

Museu do Amanhã exibe documentário sobre mudanças climáticas

O Museu do Amanhã promoverá evento sobre as mudanças climáticas e seus impactos no funcionamento dos ecossistemas. Na próxima terça-feira, dia 14/02, será exibido no Observatório do Amanhã, o documentário “Para onde foram as andorinhas?”, de Mari Corrêa e roteiro de Paulo Junqueira. A obra, exibida e aclamada durante a Conferência do Clima da ONU (COP) 21, em Paris, mostra a realidade vivida por índios do Parque Nacional do Xingu e como as transformações climáticas vêm alterando a base alimentar, sistemas de orientação do tempo, e até seus rituais.

O documentário trata de assuntos muito importantes: As grandes monoculturas de soja e milho e áreas de pasto desmatadas para a pecuária que tomaram conta de todo entorno do Parque Indígena do Xingu. Elas estão causando grandes mudanças climáticas, e afetando diretamente a segurança alimentar, entre outros aspectos, dos 16 povos indígenas que ali habitam.

De acordo com relatos dos anciãos de diferentes grupos étnicos que vivem no Parque, as andorinhas que costumavam voar em bandos para anunciar o início da estação chuvosa já não podem ser vistas. As borboletas, que visitaram as aldeias, sinalizando a secagem do rio, desapareceram. Era diferente no passado, dizem eles. Mas o aumento do calor, a falta de chuva, o desmatamento em torno do Parque, e até mesmo a construção de barragens, são apontados como causas dessas mudanças.

Em seguida, o físico Paulo Artaxo, um dos maiores especialistas em alterações climáticas do mundo, conversará com o público sobre a nova época geológica, chamada de Antropoceno, e seus impactos no funcionamento dos ecossistemas.

O evento é gratuito e as inscrições podem ser feitas pelo site. Confira mais informações aqui.

Apresentação do documentário “Para onde foram as andorinhas?” no Museu do Amanhã

  • Data: 14 de fevereiro (terça-feira)
  • Horário: das 15h às 16:30h
  • Local: Observatório do Amanhã
  • Endereço: Praça Mauá, nº 1, Centro – Rio de Janeiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *