Cultura & Entretenimento

`Inovanças – Criações à Brasileira´, nova exposição temporária do Museu do Amanhã

Estivemos conhecendo a nova exposição temporária do Museu do amanhã, antes de sua inauguração oficial, e pudemos conferir, compreender e bater um papo com sensacionais inventores, criadores que se destacaram entre tantos por seus grandes feitos. A mostra abre para os visitantes hoje e segue até 22 de outubro. Depois de conferir todos os trabalhos sensacionais, destacamos alguns que nos chamaram muito a atenção. Confira mais ao fim quais foram eles.

Criar, reinventar, conectar. O que nos leva a inovar? Os caminhos são repletos de possibilidades, desvios e curvas. Existe inovação sem tentativas? E se acabar errando? O Brasil é reconhecido como um país de vanguarda? De forma lúdica, linguagem audiovisual e interativa, a nova exposição do Museu do Amanhã “Inovanças – Criações à Brasileira” fará o visitante embarcar numa viagem pelo mundo das criações nacionais, apresentando grandes feitos e, em alguns casos, talentos poucos reconhecidos, com intuito de, sobretudo, inspirar outras invenções. O Ministério da Cultura, o Museu do Amanhã e a Finep apresentam a exposição Inovanças que estreia hoje e ficará em cartaz até 22 de outubro.

Essa é a primeira mostra temporária concebida integralmente pela equipe do Instituto de Desenvolvimento e Gestão – IDG, instituição que administra o Museu do Amanhã. À frente do projeto estão Luiz Alberto Oliveira e Leonardo Menezes, curadores da exposição “Inovanças”.

A mostra que ocupa 600 m² foi idealizada sem paredes – uma inspiração no filme “Dogville”, de Lars von Trier – e remete à fluidez do processo criativo. De acordo com o curador, a ideia é mostrar que não há limites nem barreiras ao conhecimento e à inventividade, e apoiar ações que promovam a sustentabilidade e contribuam para a popularização e difusão da ciência e da tecnologia.

“A inovação nos atravessa a todo o momento. Os processos naturais são fonte de inovação que inspiram os humanos a buscarem soluções de forma criativa. Desvios representam oportunidades na busca por soluções inéditas. Por tentativa e acerto, brasileiros e brasileiras criaram soluções que inovaram o país e o mundo. Inovação pode ocorrer no encontro entre imprevisto e improviso. A inovação é um contínuo de aprimoramento a partir de novas colaborações”, define Leonardo, que além de curador da exposição “Inovanças” é também gerente de Conteúdo, de Exposições e do Observatório do Amanhã. “Nossas escolhas poderão solucionar questões atuais e futuras e podem contribuir para amanhãs mais plurais”.

“Inovanças” apresenta cerca de 40 inovações – do high ao low tech, destacando as tecnologias sociais – que transformam e beneficiam indivíduos e grupos em todas as regiões do Brasil e até no exterior. As invenções são apresentadas em vídeos, com declarações de seus criadores e, presencialmente, com a exposição de objetos. Nossos destaques vão para alguns projetos que partiram de ideias muito simples, baixo custo e beneficiaram uma grande parcela da população:

Lâmpada de Moser

No auge da crise energética vivida pelo Brasil em 2001, o mecânico mineiro Alfredo Moser teve a ideia de utilizar garrafas de plástico com uma mistura de água e alvejante para iluminar cômodos escuros durante o dia. Conhecida como “Lâmpada de Moser”, a invenção fornece iluminação equivalente à de uma lâmpada comum, com potência entre 40 e 60 watts. Sem gasto de energia, já que todo o trabalho é feito pelo Sol, que não cobra fatura. É uma excelente solução para residências em regiões pobres e sem acesso à energia elétrica. A criação é simples, prática e funciona tão bem que o invento motivou a criação de um projeto internacional que se espalhou por 15 países.

Por que é inovador? O “faça você mesmo” pode ser aplicado 100% neste caso. Qualquer pessoa pode fabricar uma lâmpada de Moser. Basta encher uma garrafa pet com dois litros de água, duas colheres de água sanitária e utilizar um potinho para proteger a tampa do ressecamento. Além de gratuita e ecológica, a alternativa criada por Alfredo Moser pode gerar uma economia de até 30% na conta de luz. Outras aplicações: Organizações que se inspiraram na lâmpada de Moser criaram a versão noturna do produto, que funciona com uma placa solar e uma luz de LED, capaz de iluminar por até 10 horas

Favela Orgânica

Uma “vaquinha” entre seis mulheres que queriam aproveitar melhor os alimentos foi o pontapé inicial para o projeto Favela Orgânica, no Rio. Os R$ 140 arrecadados inicialmente ajudaram a desenvolver um método que promove a gastronomia alternativa para moradores das comunidades da Babilônia e Chapéu Mangueira, na Zona Sul da cidade. Cascas e sementes que iriam para o lixo se tornam receitas saborosas. Um processo de conscientização que continua com o incentivo para a plantação de hortas orgânicas, cultivadas com compostagem feita em casa.

Por que é inovador? O Favela Orgânica convoca a repensar todos os processos que envolvem o ciclo da comida, promovendo transformação social a partir da alimentação. Com o sucesso da empreitada, Regina Tchelly, fundadora do projeto, já levou as oficinas de reaproveitamento a 11 estados brasileiros, além de França, Itália e Uruguai. Os cursos oferecidos fora das favelas permitem que as aulas nas comunidades permaneçam gratuitas para os moradores. Outra fonte de renda vem do buffet Favela Orgânica, que gera emprego a ex-participantes do projeto.

Matemática inclusiva – Multiplano

Como ensinar gráficos complexos de matemática a um aluno que não pode enxergar? Depois de diversas tentativas, o professor Rubens Ferronato decidiu testar um último recurso: utilizar placas perfuradas, encontradas em lojas de materiais de construção, e adaptá-las com rebites, argolas e elástico. Desse improviso, nasceu um dispositivo que identifica números, sinais e símbolos matemáticos, com e sem Braille. O projeto foi chamado de Multiplano e conseguiu ser reconhecido pelo Ministério da Educação (MEC), que recomendou sua aplicação em toda a rede de ensino brasileira. A adaptação permitiu a deficientes visuais de todo o país um mergulho mais profundo no mundo da matemática. O Multiplano foi o ganhador do Prêmio Finep 2012 na categoria Tecnologia Assistiva.

Por que é inovador? Por sua simplicidade, o Multiplano pode ser usado por alunos que estão desde as séries iniciais do Ensino Fundamental ao Ensino Superior. O material também pode ser utilizado com alunos que enxergam, o que possibilita uma nova forma de aprendizado e favorece a integração entre pessoas com e sem deficiência.

Projeto Gelo Solar

No meio da Amazônia, ribeirinhos que sobrevivem do comércio de pescados e da produção artesanal de alimentos enfrentam dificuldades para conservar os alimentos – inclusive para o consumo. Encravados na maior floresta tropical do mundo, onde não chega energia elétrica, eles foram beneficiados graças a um projeto conduzido por pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP) e do Instituto Mamirauá, que construíram uma máquina que produz gelo a partir de energia solar. Com placas fotovoltaicas interligadas a um sistema eletrônico que transforma a radiação solar em eletricidade, cada máquina tem uma câmara de refrigeração capaz de produzir até 30 kg de gelo por dia. De manutenção simples, os equipamentos podem durar até 25 anos.

Por que é inovador? 14 A máquina de gelo solar é uma alternativa não poluente capaz de produzir gelo suficiente para atender às necessidades das comunidades rurais longe de redes elétricas, impactando na alimentação, conservação e comercialização de alimentos, como os pescados. Outras aplicações: A iniciativa pode ser uma saída para levar eletricidade à região amazônica, onde muitos ainda vivem na escuridão. Sistemas isolados podem ser instalados tanto para gerar gelo, como também, luz elétrica.

Vale lembrar que o Museu do Amanhã foi eleito o melhor museu da América do Sul e Central pelo Leading Culture Destinations Awards, “Oscar” britânico do setor e se consolidou como uma das principais atrações turísticas e culturais do país no seu primeiro ano de operação. O local foi o mais fotografado no Brasil em 2016, de acordo com o Instagram, e também ficou na primeira colocação entre as instituições mais visitadas do país com a marca de 1,5 milhão de visitantes. Em seu primeiro ano de operação.

“A diversidade é a inovação da vida. E a inovação independe de gênero, idade, região, classe social, escolaridade e identidade. É possível lapidar ideias em soluções, trazendo melhorias para milhares de pessoas no Brasil e no mundo”, Luiz Alberto Oliveira.

Inovanças – Criações à Brasileira

Museu do Amanhã – Praça Mauá 1, Centro

Tel.: 3812-1800

Período: De 25 de abril a 22 de outubro

Funcionamento: De terça-feira a domingo, das 10h às 18h (com encerramento da bilheteria às 17h)

Ingressos: A exposição temporária está incluída no valor da entrada para o Museu:

Inteira: R$ 20,00; ​Meia-entrada: R$ 10,00;

www.museudoamanha.org.br

Fotos: Naira Amorelli / Divulgação Museu do Amanhã

Acompanhe também nossas dicas no instagram @EmbarquenaViagem e use a hashtag #EmbarquenaViagem para marcar suas fotos de viagem, dicas de lazer, hospedagem, entretenimento e cultura.

Embarque na Viagem, o melhor do Turismo, Hospedagem, Lazer, Entretenimento e cultura

PLANEJE A SUA VIAGEM COMPLETA AQUI


♦ HOSPEDAGEM: Booking | Hoteis.com | Trivago | Hostelsclub

Airbnb - Ganhe R$100 de desconto


♦ SEGUROS DE VIAGEMSeguros Promo  | Sulamérica Seguros


♦ CASAS DE CÂMBIO: Melhor Câmbio ♦ CARTÃO DE CRÉDITO INTERNACIONAL: ZenCard (pré-pago)


♦ INGRESSOS INTERNACIONAIS PARA ESPORTES E SHOWSSports Events 365


♦ PASSAGEM AÉREA: ConectaVoos | Tam | Avianca | Azul | Gol | Decolar | Voopter | Maxmilhas


  ♦ TICKETS DE TREM: Rail Europe ♦ PASSAGEM DE ÔNIBUS: ClickBus ♦ ALUGUEL DE CARRO: Rentcars


♦ PACOTES DE VIAGEM: Hotel Urbano | CVCTOURS, PASSEIOS E EXCURSÕES: Viator | Ticketbar

1 Comentário

  1. 25 de maio de 2017 ás 04:30 Responder
    Luiz Alberto Leal da Costa

    Seu conteúdo é ótimo, bem instrutivo. Mas acho errado da parte do museu convidar o pessoal para postar muitas fotos antes da inauguração. Os srs não postaram tantas fotos assim, eu sei, mas junta o seu blog com os outros, aí vc tem os retratos da exposição praticamente toda, antes dela ser inaugurada. Saber dessa possibilidade me tira a vontade de ir. Eu, pelo menos, não vejo fotos de um evento, antes de conhecê-lo. É a minha maneira de pensar. As fotos não deveriam ser proibidas, só acho que antes da inauguração não deveria ter tantos retratos. Depois de ser inaugurada, sim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *