Ações Positivas

Ponte aérea Amsterdã-Bruxelas pode acabar por causa de emissões de CO²

A última grande questão dos ativistas ambientais europeus são as emissões de carbono emitidas pelos aviões. Segundo Nuria Blázquez, coordenadora de transportes do grupo Ecologistas en Acción, da Espanha, o problema já chegou aos parlamentos de países como França e Holanda — que agora planejam proibir voos cujos trajetos se podem realizar por terra em menos de três horas.

A ponte aérea entre Amsterdã (Holanda) e Bruxelas (Bélgica), deve ser o primeiro voo proibido. No país anglo-saxão, a proposta partiu da congressista Suzanne Kröger, do partido verde GroenLinks.

ponte aérea
Amsterdã – Holanda

Os voos entre as duas cidades duram 45 minutos, enquanto a mesma viagem de trem demora 1 hora e 50 minutos em um serviço de alta velocidade. Partidos menos radicais também aprovam a ideia, levando em conta que, com programas de controle de abastecimento, as viagens também são possíveis de carro — que emitem menos que os aviões.

Segundo ambientalistas, fazer a viagem de avião pode jogar na atmosfera até 48 quilos de CO² a mais do que percorrer a mesma distância de trem. A questão, segundo o GroenLinks, é que muitas passagens aéreas são mais baratas do que os tíquetes ferroviários. O partido lançou uma petição na Internet para que as empresas que operam o trecho baixem os preços para estimular a troca do avião pelo trem.

ponte aérea
Bruxelas – Bélgica

Na França, uma iniciativa similar é liderada pelo deputado esquerdista François Ruffin, que é assessorado por Kröger. O seu partido, La France Insoumise, de oposição ao presidente Emmanuel Macron, questiona o voo entre Paris e Marselha, no Mediterrâneo — as duas cidades mais populosas do país estão conectadas por voos de 1 hora e 20 minutos. Ambos usam a hashtag #IStayOnTheGround (“Eu fico na terra”) como forma de expandir a campanha nas redes sociais.

Na Espanha e em outros países da Europa, porém, o debate sobre as emissões de aviões ainda não está posto se comparado aos parlamentos holandês e francês. No entanto, ainda há trajetos de avião e de trem que cumprem o critério das “três horas”. Os espanhóis, que têm um sistema ferroviário de alta velocidade centrado em Madrid, já começam a questionar o voo entre a capital e Barcelona.

Segundo o jornal El País, enquanto um voo entre Amsterdã e Bruxelas — cidades separadas por 174 km de distância — emite entre 26 e 50 quilos de CO² na atmosfera, uma viagem de trem joga apenas cerca de 1,8 quilo. O trecho Madrid-Barcelona (506 km) é operado por companhias aéreas que voam as duas metrópoles em 1 hora e 15 minutos e emitem entre 60 e 80 quilos de CO², ao passado que um trem (faz a viagem em 2 horas e trinta minutos) joga apenas um número entre 4,9 e 7,2 quilos de CO².

O Primeiro Shopping de Containers da Zona Sul Carioca

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *