Dicas & Destinos

Viajar sozinho ou em grupo? Eis a questão

Se lançar em uma viagem é uma experiência que muda a vida de qualquer pessoa. No entanto, pode-se decidir passar por essa vivência sozinho ou em grupo, escolha que muda bastante o tipo de experiência que você terá. Analisamos ambos os conceitos para que você possa ter uma ideia mais clara da opção que melhor se encaixa ao seu estilo.

Viajar sozinho: aventura e cautela são ingredientes para desfrutar a viagem 

Viajar sozinho é uma experiência que pode parecer muito intimidante a princípio, mas se as devidas precauções forem tomadas a possibilidade de sentir uma outra cultura e imergir nela é enriquecedora. Alguns dos motivos mais comuns para escolher viajar sozinho são a liberdade de tomar decisões, conhecer outras pessoas e aprender coisas novas, além de ser uma das maneiras mais eficientes de se conhecer melhor.

Para aproveitar mais a aventura de se lançar sozinho no mundo, vale a pena se atentar a alguns pontos. Levar malas leves, ter assistência médica internacional e fazer um planejamento financeiro o mais detalhado possível são algumas das dicas mais comuns para quem viaja sozinho.

Dessa forma, se precavendo e compreendendo o porquê você está escolhendo viajar sozinho, você está pronto para viver essa experiência que marca a vida de qualquer pessoa e transforma paradigmas. O grande lance é embarcar na aventura com segurança.

Mergulhar em outras culturas: aprender e se divertir 

Conhecer pessoas novas quando se viaja sozinho é muito mais fácil do que parece, pois o idioma não é necessariamente uma barreira. É claro que é sempre legal saber falar ao menos um pouco da língua do país de destino, mas métodos alternativos, como sair para dançar ou jogar algo, também podem ser utilizados.

Nesses termos, jogos de cartas tradicionais, como o UNO, são conhecidos em todo o mundo e já têm até versões digitais. Suas instruções são muito fáceis de aprender e nesses jogos, geralmente, podem ser adicionados mais jogadores de maneira simples e fácil. Além do UNO, outro exemplo de jogo de cartas que pode unir pessoas de diferentes partes do mundo é o blackjack, modalidade que, conforme explicado no site de caça níquel Betway Cassino Online, possui diversas variantes. Esse jogo mantém os mesmos princípios e regras básicas, ainda que possua nomes diferentes, como pontoon ou vinte e um, em determinadas partes do mundo. Essas dicas, no entanto, são interessantes para o momento em que você já estiver em seu destino. Mas, se você ainda não sabe nem por onde começar a planejar uma viagem sozinho, contatar agências como a Single Trips, que auxiliam pessoas, independentemente do estado civil, a se conectar através de viagens, pode ser uma boa pedida.

Além de ser uma forma de quebrar o gelo, jogar com outras pessoas durante uma viagem também pode te ajudar a aprender outras línguas e a conhecer algumas das múltiplas expressões culturais de outros viajantes, entre muitos outros aprendizados que surgem naturalmente quando se viaja sozinho.

Por fim, o jornal online Estadão dá algumas sugestões de lugares no Brasil e no exterior que são bons destinos para quem está viajando sozinho. Locais como Londres, Paris, Nova York e Jericoacoara estão entre aqueles que oferecem mais e melhores opções a seus visitantes.

viajar sozinho

Viajar em grupo: vantagens e facilidades

Viajar em grupo enriquece de outra forma a experiência de viagem, pois traz consigo a possibilidade de ter vários pontos de vista e soluções para as aventuras que serão vivenciadas. Destinos como Escócia, Egito ou o vale da Toscana, na Itália, são bons lugares para se fazer uma viagem em grupo, pois exigem mais planejamento em comparação com destinos mais tradicionais, como Londres e Nova York, que podem ser explorados tranquilamente por quem viaja sozinho.

Além da pluralidade de perspectivas, outra das vantagens de viajar em grupo é o fato de ser muito fácil encontrar passeios ou pacotes de viagens com descontos que geralmente incluem transporte, alimentação e guias com horários e locais bem definidos.

Nesse contexto, viajar em grupo pode ser uma experiência que implica restrições em termos de horários e possibilidades de explorar, mas oferece aos viajantes a possibilidade de dividir responsabilidades e de que conheçam melhor uns aos outros.

Vale ressaltar que as despesas são um dos principais assuntos a serem coordenados em uma viagem em grupo, uma vez que cada viajante tem uma ideia diferente de como será a viagem e, nesse sentido, ter um orçamento planejado para se presentear com a mesma vivência dos demais viajantes é sempre bem-vindo. Entretanto, já existem, felizmente, ferramentas e aplicativos – como Splitwise ou Splittr – que permitem sincronizar as informações relevantes e controlar as despesas entre cada um dos participantes do grupo.

Coordenação é a chave

Viajar em grupo é algo que pode oferecer os dois lados da moeda: uma experiência cheia de diversão e boas lembranças ou uma aventura pela qual você nunca mais gostaria de passar.

No entanto, algumas das dicas mais úteis para viajar em grupo e fazer dessa experiência algo positivo são completamente baseadas no entendimento entre os participantes da turma. Pontos como entender o que seus acompanhantes querem, respeitar a privacidade dos outros e manter uma negociação constante a fim de chegar a um consenso são de grande importância para que uma viagem em grupo seja uma experiência bem-sucedida.

Alguns dos erros mais comuns de quem viaja em grupo incluem a falta de tolerância com as demandas dos demais e até mesmo não se dar uma pausa do grupo nem ter tempo sozinho para explorar por si só por um momento. Todos os integrantes do grupo precisam de um tempo de tranquilidade e da oportunidade de desfrutar das coisas que mais lhe interessam, portanto, uma solução simples para essa situação é se dar esse tempo e combinar com o restante da turma um local e um horário para que vocês se reúnam novamente e continuem com a aventura juntos.

Além do mencionado acima, congestionar os quartos com o maior número possível de pessoas, de modo a reduzir os gastos, pode se tornar um problema, visto que o tempo de descanso, a privacidade, a ordem e a limpeza acabam sendo diminuídos, o que afeta o bem-estar dos viajantes. A fim de evitar situações do tipo, é aconselhável procurar alternativas que sejam do agrado de todos, e plataformas como Hostelworld ou Airbnb podem ser uma boa pedida para tal.

viajar sozinho

Viajar sozinho ou em grupo são duas experiências completamente diferentes, e ambas trazem consigo vantagens e desvantagens. Por isso, é importante analisar as duas opções para descobrir o que é mais adequado para você antes de tomar uma decisão.

Fatores como custos, independência, companhia, conforto, segurança e qualidade das experiências de viagem são alguns dos pontos fundamentais que permitem a cada pessoa identificar se prefere viajar sozinha ou em grupo, então, verifique cada um desses pontos, arrume as malas e faça uma boa viagem!

O Primeiro Shopping de Containers da Zona Sul Carioca

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *