Negócios & Serviços

Entidades brasileiras do setor de comércio participam de feira nos EUA

Entidades brasileiras do setor de comércio participaram da National Retail Federation (NRF), em Nova Iorque, e conheceram as novas tendências no mercado varejista mundial

A National Retail Federation [NRF], a maior organização varejista do mundo, realizou pela 110ª vez sua Convenção Anual em Nova York, e, este ano bateu o recorde totalizando 800 empresas, 400 palestrantes e 40 mil participantes durante três dias de evento. O Brasil não ficou de fora, mais de 20 marcas brasileiras estiveram presentes, assim como entidades brasileiras representadas pelos diretores da Associação Brasileira de Lojistas de Artefatos e Calçados (ABLAC), presidentes da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Rio de Janeiro (Fecomércio RJ) e Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

Empreendedores do mundo inteiro vieram com o principal objetivo de debater novas soluções e inovações que os fornecedores de software reservam para 2020. Este ano, dois temas recorrentes foram predominantes: uma ênfase em como organizar estoque em lojas para não perder vendas e o uso de robôs para otimizar processos.

O evento não se limita só a um lugar, ele toma conta da cidade com a chamada Retail Week, que inclui eventos pré e pós-convenções em toda a cidade de Nova York, como o Retail ROI SuperSaturday, o VIP Awards e o Rock & Roll Underground, entre outros.

Em entrevista exclusiva com o presidente da Fecomércio RJ, Antonio Florencio de Queiroz Junior, ele conta que este evento é tão importante para o varejo que a Federação participa  desde sua primeira edição. “Sempre trazemos uma delegação para visitar a feira. Nesta temos uma novidade que é um projeto em andamento com o consulado brasileiro em NY de intercâmbio entre empresários americanos e brasileiros”, enfatiza. 

Queiroz explica que o projeto consiste em mostrar como funciona o setor varejista no brasil para os americanos e vice-versa, facilitando assim possíveis trocas de investimentos.  

Para ele o melhor tema abordado durante o evento foi a retomada da discussão sobre a loja física e a virtual. “Há dois anos atrás existiu uma discussão muito forte sobre que a loja física iria acabar por causa das lojas online, era quase uma verdade absoluta. Porém nesta edição foi ressaltado a importância da  relação física e a experiência de venda com os clientes. Isto me deixou muito animado. Existe sim a possibilidade forte de se trabalhar em conjunto físico e virtual “, comemora. 

Entidades brasileiras
Viviane Faver entrevistando o presidente da Fecomércio RJ – Antonio Florencio de Queiroz Junior

O presidente da Fecomércio RJ complementou que na sua visão o mercado Brasileiro já está reagindo, que é possível enxergar o horizonte de maneira suave e o que  precisa ser trabalhado no Brasil neste momento é o setor de telefonia que não está bom, e convencer os empresários que a grande ferramenta hoje em dia é a capacitação de seus funcionários.

Ao contrário da Fecomércio, a Ablac teve sua primeira participação no evento. Segundo o diretor da associação, Marcone Tavares, o que ele abstraiu do evento foi que podemos esperar para 2020 uma revolução no varejo de calçados Brasileiros. “Essa revolução estará alicerçada em tecnologia e experiência de compra do consumidor,e uma feira nesta magnitude induz o investimento, modernização e  grandes movimentos podem surgir.”

Tavares explica que as principais necessidades do setor é a acuracidade no controle de estoque e novas formas de atender o cliente de modo que a marca esteja sempre presente ao consumidor, ou seja, ‘online’ ou ‘offline’, assim os estandes/tecnologias que mais prenderam a atenção dos associados foram as diversas formas do controle de fluxo com reconhecimento facial e os modernos POS (Checkout). 

“Quanto às palestras, os temas abordados que mais prenderam a atenção foram customização/personalização de produtos, desenvolvimento de marcas, empoderamento dos funcionários e as incríveis formas de atender do ALIBABA”, resume suas experiências na feira.

O presidente José Roberto Tadros, da CNC que também estava presente na feira conta que é extremamente importante a CNC se fazer presente para acompanhar a evolução do varejo com toda a moderna tecnologia que o mundo está implantando, lembrando que  o Brasil ainda é a oitava economia e a quinta maior população do mundo e precisa rapidamente se inserir nesse processo porque o sistema capitalista evoluiu permanentemente, de acordo com Tadros.

Porém, uma novidade que a CNC traz é o objetivo de promover um evento no Brasil similar a NRF  ainda esse ano de forma que seja acessível a pequenos, médios e grandes empresários na busca de fortalecer o contato com novas tecnologias e cases que ajudem no desenvolvimento diante do novo cenário, ressalta o presidente da CNC. 

Entidades brasileiras
Da esquerda para direita os representantes das entidades brasileiras: Sebastião de Oliveira – Fecomércio Pará, Bernardo Peixoto – Fecomércio Pernambuco, Luiz Antônio Lacerda – vice presidente da Fecomércio RN, José Roberto Tadros – CNC, Francisco Maia – Fecomércio DF, Carlos Andrade – Fecomércio BA e Antônio Queiroz – Fecomércio RJ. Foto: Viviane Faver
O Primeiro Shopping de Containers da Zona Sul Carioca

1 Comentário

  1. 29 de janeiro de 2020 ás 06:10 Responder
    Renato Rezende Faver

    Parabéns e sucesso !

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *