Dicas & Destinos

Deserto árido do Atacama espera por fenômeno raro de florescimento

Flores no horizonte cor de terra são raras, mas acontecem em anos específicos — 2019 deve ser um deles

flores do deserto do Atacama

O consultor brasileiro Guilherme Soares sonha em repetir uma viagem realizada há quase dois anos. Em agosto de 2017, ela alugou um carro e foi de Santiago, no Chile, até o Norte do país, com o objetivo de ver pela primeira vez na sua vida um fenômeno raro: os jardins de flores do deserto do Atacama — um dos lugares mais secos do mundo.

Quando isso acontece, várias áreas do deserto ficam lotadas de turistas, que chegam a ocupar toda a rodovia para tirar fotos do fenômeno — comerciantes ainda tentam coletar algumas para vender as flores pela internet e, depois de certo período, são organizadas exposições com as cerca de 200 espécies que florescem ali.

flores do deserto do Atacama

O fenômeno do Atacama geralmente ocorre a partir de maio, quando é possível que aconteçam chuvas — raras — sobre partes do deserto. Quando chove, as agências de turismo já avisam que a possibilidade das flores crescerem é grande, e logo recebem demandas não apenas de chilenos de outras regiões, mas também de alemães, franceses e espanhóis. De acordo com o Serviço Nacional do Turismo (Sernatur), a expectativa que nesse período ao menos 25 mil pessoas cheguem à região do Atacama para observar o espetáculo natural.

Em 2017, quando o deserto ficou florido, os hotéis chegaram a 60% de lotação, mas não impediu que todos que viajaram ao local vissem as flores roxas e brancas, porque elas permaneceram intocáveis até a primeira quinzena de setembro.

Não é todo ano que há flores no deserto chileno: o fenômeno depende exclusivamente das condições climáticas, como a chuva. Antes as flores apareciam a cada cinco anos, e já demorou até uma década. No entanto, a chuva tem sido recorrente nos meses de maio. O último grande florescimento antes do episódio citado acima aconteceu em 2015 — quando não ocorria desde 1997. Por isso, os turistas estão atentos para a possibilidade de voltar a acontecer agora.

A maior quantidade de flores coloridas aparece perto do mar, em ambos os lados da estrada Panamericana, que cruza o Chile de Norte a Sul. É possível vê-las em diferentes zonas nortistas, mas se concentram sobretudo nos quase 150 quilômetros que separam Copiapó de Vallenar, onde o normal é ver uma paisagem árida em que predominam a cor terra. Um dos lugares recomendados pelos especialistas para apreciar o deserto florido em sua plenitude é o Parque Nacional Llanos de Challe. “Ali existe a maior biodiversidade de flores, ainda que não estejamos em uma época de grande florescimento”, disse Gabriela López, administradora do parque, ao jornal La Tercera.

Junto com a flora — suspiros, azaléias, patas de guanaco, coroas etc. — há a fauna, borboletas e as chamadas “vacas do deserto”. A natureza se manifesta em todo seu esplendor e não deixa de ser registrada: em 2017, o diretor regional da Sernatur no Atacama, Daniel Díaz, afirmou que o jardim desértico foi o mais fotografado — e publicado nas redes sociais — da história.

flores do deserto do Atacama
O Primeiro Shopping de Containers da Zona Sul Carioca

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *